queridos pet's

PitaPata Cat tickers PitaPata Cat tickers PitaPata Cat tickers> PitaPata Cat tickers PitaPata Cat tickers

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

este infindável mistério da memória...

A memória humana é realmente impressionante... Falando em nome de uma parcela significativa da espécie, não sei como esquecemos de coisas tão importantes... Sobre nossas idéias, por exemplo: eu vinha cá pensando, como é que, sendo seres inteligentes, não temos pensamentos originais todos os dias, desses que valeriam a pena serem escritos e compartilhados? Daí, me dei conta que não é bem isso que acontece.., temos sim, dezenas deles, porém, quantos de nós anda com um bloquinho de anotação 24 horas por dia para ficar anotando suas ocorrências... eu não, pelo menos, e acredito que a grande maioria está comigo... Infelizmente, por mais criativos, belos ou mesmo, geniais que sejam os nossos pensamentos, misteriosamente, eles somem quando sentamo-nos para escrevê-los... desaparecem, como se nunca tivessem existido em nossa cabeça, ou deixam apenas alguns vestígios, que muitas vezes não conseguimos juntar e formar uma idéia concreta... Eu me pergunto, para onde vão estes danados!!! Ah, este infindável mistério da memória humana... Devem estar todos aí, em algum cantinho obscuro de nossas esquecidas cabeças, dialogando em discussões fervorosas, ou mesmo rindo de nós, e esperando, quem sabe, um momento certo para vir a tona outra vez...

4 comentários:

Boris disse...

Muito bom este tema, faço parte de um grupo q discute primordialmente memória, e uma coisa q o povo prega é andar com um bloquinho de notas para as anotações destes pensamento. As veze em guardanapos ou em qualquer papel q enconrar, mas todos são válidos quando pensados no coletivo hehhe.
beijão, adoro o teu blog e tuas idéias, me indentifico na maioria das vezes.

Leti Abreu disse...

Que bom, meu caro, és meu leitor mais file... um bloquinho.. já pensei muito nisso, mas oh, idéia difícil de colocar em prática...

Iggy disse...

Houve um tempo em que eu andava com o tal bloquinho, houve o tempo em que eu andava com papel higiênico, e não há outra saída, a não ser aprender a 'mandar' na memória.

Leti Abreu disse...

Eu acho anotar uma boa tática... sempre tem coisas que fogem...